segunda-feira, setembro 18, 2006

Sorrindo

Sorriso sem boca, sim
Afinal pra que alvos dentes
Se o claro olhar mais diz?
De adianta uma ponta a outra
Se o coração engana?
Talvez pra esconder o que sente... (ou que é)
E com sorrisos e magia,
Fortaleza se transforma.
Palavras e encantos,
Poeta se constrói.

No meu mundo
Sou o que quero...
Escondo fétidas feridas
E com um sorriso me enfeito.

Dinha Oliveira

2 comentários:

Tita - Uma mulher, Um blog, algumas palavras disse...

Gostei muito deste poema. Revejo-me muito nestas palavras.
Um beijo

Tatiana Mamede disse...

Oi linda!

Desconcertante, enebriante, quase enlouquecedor...

Fantasia para o dia, para a noite, morte e vida em palavras secas e escorregadias.

Sua poesia me fascina.

Grande beijo cheio de saudades!